Stereo Soldier - Capítulo O8 , Part Three

Do tempo de dormir no carro até comprar aquele carrão
Eu sou um astro do mundo
Todos aqueles outros blogs
Todos os invejosos odeiam Porque eu sou um galã
Mas será que eu quero isso tudo? - (Won't Stop)

"House Without End (Great Trap)"





Trailer da Fanfic (here)

Niall P.O.V

Eu não sabia como eu tinha feito aquilo, talvez tenha sido apenas o meu estado no momento, mas eu tinha criado a porta. Eu sabia que tinha. Na minha loucura eu tinha riscado na parede o que eu mais precisava, uma saída para o próximo quarto. O quarto 7 estava perto. Eu sabia que o demônio estava bem atrás de mim, mas por alguma razão, ele não conseguia me tocar. Fechei meus olhos e coloquei ambas as mãos no grande 7 na minha frente. E empurrei. Empurrei o mais forte que pude. O demônio agora gritava nos meus ouvidos. Ele e dizia que eu nunca iria embora. Me dizia que esse era o fim, mas que eu não iria morrer, eu iria ficar lá no quarto 6 com ele. Eu não iria. Empurrei e gritei com todo o meu fôlego. Eu sabia que alguma hora eu iria atravessar a parede. Cerrei meus olhos e gritei, e então o demônio se foi. Eu fui deixado no silêncio. Me virei lentamente e fui saudado com o quarto estando como estava quando eu entrei, apenas uma cadeira e uma lâmpada. Eu não podia acreditar nisso, mas não tive tempo de me habituar. Me virei para o 7 e pulei levemente para trás. O que eu vi foi uma porta. Não a que eu tinha riscado lá, mas uma porta normal com um grande 7 nela. Todo o meu corpo tremia. Me levou um tempo para girar a maçaneta. Eu apenas fiquei lá, parado por um tempo, encarando a porta. Eu não podia ficar no quarto 6, não podia. Mas se isso foi apenas o quarto 6, não conseguia imaginar o que me aguardava no 7. Devo ter ficado lá por uma hora, apenas olhando para o 7. Finalmente, respirei fundo e girei a maçaneta, abrindo a porta para o quarto 7.

Cambaleei através da porta mentalmente exausto e fisicamente fraco. A porta atrás de mim se fechou, e eu me toquei de onde estava. Eu estava fora. Não fora como no quarto 5, eu estava realmente lá fora. Meus olhos ardiam. Eu queria chorar. Cai de joelhos e tentei, mas não consegui. Eu estava finalmente fora daquele inferno. Nem sequer me importava com o prêmio que foi prometido. Me virei e vi que porta que eu tinha acabado de atravessar era a entrada. Andei até o meu carro e dirigi para casa, pensando em o quão bom seria tomar um banho.

Assim que cheguei em casa, me senti desconfortável. A alegria de deixar a Casa Sem Fim tinha sumido, e um temor crescia lentamente em meu estômago. Parei de pensar nisso e fiz meu caminho para a porta da frente. Entrei e imediatamente subi para o meu quarto. Eu entrei lá e na minha cama estava meu gato Baskerville. Ele foi a primeira coisa viva que eu vi aquela noite, e fui fazer carinho nele. Ele sibilou e bateu na minha mão. Recuei em choque, ele nunca tinha agido assim. Eu pensei “tanto faz, ele é um gato velho”. Fui para o banho e me aprontei para o que eu esperava ser uma noite de insônia.

Depois do meu banho, fui cozinhar algo. Desci as escadas e me virei para a sala de estar, e vi o que ficaria para sempre gravado em minha mente. Meus pais estavam deitados no chão, nus e cobertos de sangue. Foram mutilado ao ponto de estarem quase identificáveis. Seus membros foram removidos e colocados do lado dos seus corpos, e suas cabeças em seus peitos, olhando para mim. A pior parte eram suas expressões. Eles sorriam, como se estivessem felizes em me ver. Vomitei e comecei a chorar lá mesmo. Eu não sabia o que tinha acontecido, eles nem sequer moravam comigo. Eu estava confuso. E então eu vi. Uma porta que nunca esteve lá antes. Uma porta com um grande 8 riscado com sangue nela.

Eu continuava na casa. Estava na minha sala de estar, mas ainda assim, no quarto 7. O rosto dos meus pais sorriram mais assim que eu percebi isso. Eles não eram meus pais, não podiam ser. Mas pareciam exatamente como eles. A porta marcada com um 8 estava do outro lado, depois dos corpos mutilados na minha frente. Eu sabia que tinha que continuar, mas naquele momento eu desisti. Os rostos sorridentes acabaram comigo, me seguravam lá onde eu estava. Vomitei novamente e quase entrei em colapso. E então, o zumbido voltou. Estava mais alto do que nunca, enchia a casa e tremia as paredes. O zumbido me obrigou a andar. Comecei a andar lentamente, indo em direção a porta e aos corpos. Eu mal conseguia ficar em pé, ainda mais andar, e quanto mais perto eu ia dos meus pais, mais perto do suicídio eu estava. As paredes agora tremiam tanto que parecia que desmoronariam, mas ainda assim os rostos sorriam para mim. Cada vez que eu me movia, os olhos me seguiam. Agora eu estava entre os dois corpos, a alguns metros da porta. As mãos desmembradas rastejaram em minha direção, o tempo todo os rostos continuavam a me olhar fixamente. Um novo terror tomou conta de mim e eu andei mais rápido. Eu não queria ouvir eles falarem.

Não queria que as vozes fossem iguais a dos meus pais. Eles começaram a abrir suas bocas, e agora as mãos estavam a centímetros dos meus pés. Em um movimento desesperado, corri até a porta, a abri, e bati com ela atrás de mim. Quarto 8.

Eu estava farto. Depois do que acabara de acontecer, eu sabia que não tinha mais nada que essa porra de casa pudesse ter que eu não pudesse sobreviver. Não havia nada além do fogo do inferno que eu não estava preparado. Infelizmente eu subestimei as capacidades da Casa Sem Fim. Infelizmente, as coisas ficaram mais perturbadoras, mais terríveis e mais indescritíveis no quarto 8.

Eu continuo tendo dificuldade me acreditar no que eu vi na sala 8. De novo, o quarto era uma cópia do quarto 6 e 4, mas sentado na cadeira normalmente vazia, estava um homem. Depois de alguns segundos de descrença, minha mente finalmente aceitou o fato de que o homem sentado lá era eu. Não alguém que parecia comigo, ele era Niall Horan. Me aproximei. Eu tinha que dar uma olhada melhor, mesmo tendo certeza disso. Ele olhou para mim e notei lágrimas em seus olhos.

Niall: Por favor…. por favor, não faça isso. Por favor, não me machuque.
Eu:O que? - Eu disse - Quem é você? Eu não vou te machucar.
Niall: Sim, você vai -Ele soluçava agora- Você vai me machucar e eu não quero que você faça isso -Ele colocou suas pernas para cima na cadeira e começou a se balançar para frente e para trás. Foi realmente bem patético de olhar, principalmente por ele ser eu, idêntico em todos os sentidos-
Eu: Escute, quem é você? -Eu estava agora apenas a alguns metros do meu doppelganger. Foi a mais estranha experiência que eu tive, estar lá falando comigo mesmo. Eu não estava assustado, mas ficaria logo Por que você ?
Niall:Você vai me machucar, você vai me machucar, se você quer sair você vai me machucar
Eu: Por que você está falando isso? Apenas se acalme, certo? Vamos tentar entender isso e -E então eu vi.

O Niall sentado lá estava usando as mesmas roupas que eu, exceto por uma pequena mancha vermelha bordada em sua camisa com um número 9

Niall:Você vai me machucar, você vai me machucar, não, por favor, você vai me machucar…

Meus olhos não deixaram o pequeno número no seu peito. Eu sabia exatamente o que era. As primeiras portas foram simples, mas depois elas ficaram mais ambíguas. 7 foi arranhada na parede pelas minhas próprias mãos. 8 foi marcada com o sangue dos meus pais. Mas 9 - esse número era uma pessoa, uma pessoa viva. E o pior, era uma pessoa que parecia exatamente comigo.

Eu:Niall? - Eu tive que perguntar-
Niall:Sim… você vai me machucar, você vai me machucar…
Ele continuo a soluçar e a se balançar. Ele respondeu ao Niall. Ele era eu, até a voz. Mas aquele 9. Eu andei por alguns minutos enquanto ele chorava em sua cadeira. O quarto não tinha nenhuma porta, e assim como o 6, a porta da qual eu vim tinha sumido. Por alguma razão, eu sabia que arranhar não me levaria a nenhum lugar dessa vez. Estudei as paredes e o chão em volta da cadeira, abaixando a minha cabeça e vendo se tinha algo embaixo dela. Infelizmente, tinha. Embaixo da cadeira tinha uma faca. Junto com ela tinha uma nota onde se lia: Para Niall -De Connery-

A sensação em meu estômago quando eu li a nota foi algo sinistro. Eu queria vomitar, e a última coisa que eu queria fazer era remover a faca debaixo da cadeira. O outro Niall continuava a soluçar incontrolavelmente. Minha mente girava em volta de questões sem respostas. Quem colocou isso aqui e como sabiam meu nome? Sem mencionar o fato de que eu estava ajoelhado no chão frio e também estava sentado naquela cadeira, soluçando e pedindo para não ser machucado por mim mesmo. Isso tudo era muito para processar. A casa e a gerência estavam brincando comigo esse tempo todo. Meus pensamentos, por alguma razão, foram para Peter, e se ele chegou tão longe ou não. E se ele chegou, se ele conheceu um Peter Terry soluçando nesta cadeira, se balançando para frente e para trás. Eu expulsei esses pensamentos da minha cabeça, eles não importavam. Eu peguei a faca debaixo da cadeira e imediatamente o outro Niall se calou.

Niall: Niall -ele disse na minha voz- o que você pensa que vai fazer?

Me levantei do chão e apertei a faca na minha mão.

Eu:Eu vou sair daqui.

Niall continuava sentado na cadeira, mas estava bem calmo agora. Ele olhou pra mim com um sorriso fraco. Eu não sabia se ele iria rir ou me estrangular. Lentamente ele se levantou da cadeira e ficou de frente para mim. Era estranho. Sua altura e até a maneira que ele estava eram iguais a mim. Eu senti o cabo de borracha da faca na minha mão e apertei ela mais forte. Eu não sabia o que planejava fazer com isso, mas sentia que eu ia precisar dela.

Niall:Agora -  sua voz era um pouco mais profunda que a minha-Eu vou te machucar. Eu vou te machucar e eu vou te manter aqui -

Eu não respondi. Eu apenas o ataquei e o segurei no chão. Eu tinha montado nele e olhei para baixo, faca apontada e preparada. Ele olhou para mim apavorado. Era como se eu estivesse olhando para um espelho. E então, o zumbido retornou, baixo e distante, mas ainda assim eu o sentia no meu corpo. Niall olhou mim e eu olhei para mim mesmo. O zumbido foi ficando mais alto, e eu senti algo dentro de mim se romper. Com apenas um movimento, eu enfiei a faca na marca em seu peito e rasguei. A escuridão inundou o quarto, e eu estava caindo.

A escuridão em volta de mim era diferente de tudo que eu já tinha experimentado até aquele ponto. O Quarto 3 era escuro, mas não chegou nem perto dessa que tinha me engolido completamente. Depois de um tempo, eu não tinha nem mais certeza se continuava caindo. Me sentia leve, coberto pela escuridão. E então, uma tristeza profunda veio até mim. Me senti perdido, deprimido, suicida. A visão dos meus pais entrou na minha mente. Eu sabia que não era real, mas eu tinha visto aquilo, e a mente tem dificuldades em diferenciar o que é real e o que não é. A tristeza só aumentava. Eu estava no quarto 9 pelo que parecia dias. O quarto final. E era exatamente o que isso era, o fim. A Casa Sem Fim tinha um final, e eu tinha alcançado isso. Naquele momento, eu desisti. Eu sabia que eu estaria naquele estado pra sempre, acompanhado por nada além da escuridão. Nem o zumbido estava lá para me manter são. Eu tinha perdido todos os sentidos. Não conseguia sentir eu mesmo. Não conseguia ouvir nada, a visão era inútil aqui, e eu procurei por algum gosto na minha boca e não achei nada. Me senti desencarnado e completamente perdido. Eu sabia onde eu estava. Isso era o inferno. O Quarto 9 era o inferno. E então aconteceu. Uma luz. Uma dessas luzes estereotipadas no fim do túnel. Então eu senti o chão vir até mim, eu estava em pé. Depois de um momento ou dois para reunir meus pensamentos e sentidos, eu andei lentamente em direção a essa luz.

Assim que eu me aproximei da luz, ela tomou forma. Era uma luz saindo da fenda de uma porta, dessa vez sem nenhuma marca. Eu lentamente andei através da porta e me encontrei de volta onde eu comecei, no lobby da Casa Sem Fim. Estava exatamente como eu deixei. Continuava vazia, continuava decorada com enfeites infantis de Halloween. Depois de tudo o que aconteceu aquela noite, eu continuava desconfiado de onde eu estava. Depois de alguns momentos de normalidade, eu olhei em volta tentando achar qualquer coisa diferente. Na mesa estava um envelope branco com o meu nome escrito nele. Muito curioso, mas ainda assim cauteloso, juntei coragem para abrir o envelope. Dentro estava uma carta escrita à mão.

Niall Horan,

Parabéns! Você chegou ao final da Casa Sem Fim! Por favor, aceite esse prêmio como que  a partir daqui nunca mais vera a luz do dia , seu sol ira nascer quadrado pois você foi entregue pra policia ! sim , eu consegui e você perdeu playboy! Quero dizer-lhe nesta carta que essa Casa Sem Fim foi apenas uma armadilha para pegar sua cúmplice , uma menina da sua gangue chamada SeuNome mas seus queridos amigos que iram ficar junto com você me uma cela suja e sem comida . Boa Sorte Nialler , você nunca irá conseguir sair dai sem ser pego , você nunca irá conseguir me pegar NUNCA! 

Do seu eterno
Connery 

Junto com a carta, tinham cinco notas de 100 dólares.

Eu não conseguia parar de rir. Eu ri pelo que pareceram horas. Eu ri enquanto andava até o carro e ri enquanto dirigia pra casa. Eu ri enquanto estacionava o carro na minha garagem, ri enquanto abria a porta da frente da minha casa e ri quando vi um mutirão  de policiais apontando a arma para mim enquanto Zayn , Liam , Harry , Louis e SeuNome olhavam dos carros de policia . 



COMENTEM MUITO POR FAVOR!

(só continuo com mais de  +20 comentários)
Ficou meio confuso né ? mas só pra deixar claro tinha 2 Niall's , sim 2 lindos e maravilhosos Niall's .. Decidi colocar 2 porque eu queria mesmo criar mistério nessa Fic! Será mesmo realmente eles será preso ???? e a SeuNome ? Os Meninos ? OMG ! Espero que Gostem!
Amo Vocês <33
ask - twitter
DIVULGUEM POR FAVOR GENTE! AJUDEM PLZ!
28

28 comentários:

  1. amei, continua.. estou super curiosa \Aline

    ResponderExcluir
  2. continuaa pf, ta mt foda essa fic *--*
    bjss Liamda <3

    ResponderExcluir
  3. Pera, pera, pera..Eu não intendi tipo..isso ai não é um flashback? Sei lá, eu não intendi, até a parte do avião tava tudo bem mais depois eu não entendi mais nada, mds me ajuda cara

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No começo quando falou de Peter era um flashback pois falava sobre as drogras que ele largou! só que depois “Peter“ levou ele para a Casa Sem Fim que era uma armadilha ... nada de flashback ,quando for eu coloco “FLASHBACK ON“ entendeu anjo ? *---*

      Excluir
    2. Aaaaaaaaaaaah, poxa velho que foda, então uahsuha to amando

      Excluir
  4. Ow q confusão!!!! #omg
    Curiosa p/ o próximo
    Annah C.

    ResponderExcluir
  5. Meu deus, fico mto foda! Continuaaa? :)

    ResponderExcluir
  6. Mas Gente ja pensou em fazer filme de terror scrr AMEI primeira fic que leio assim muito bom xxAna

    ResponderExcluir
  7. Continua amr por favor?

    ResponderExcluir
  8. Ta muito emocionante U.U

    ResponderExcluir
  9. LARISSA O QUE FOI ISSO? VOCÊ QUER ME MATAR MENINA? Sabe minha mente é MUITO criativa e eu ia lendo e imaginando, não curti imaginar o Niall cortanto ele mesmo ou a tia Maura esquertejada!
    Mas tá ótimo! Auhsahuhsahu
    Continua!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é peço desculpas por isso , escrevi quase chorando pois não foi legal os pais de Niall falecerem esquartejados mas pra mim foi uma outra coisa escrever assim! KKKKKK'

      Excluir
    2. realmente ateh o aviao estava td certo,mas depois eu fiquei total confusa isso ta surreal tah mais pra filme .. e eu queria uma coisa mais real pra imaginar .. mais fora isso to adorando. humor: TOTAL CONFUSA

      Excluir
  10. Eu não entendi, tbm pensei q era um flasback pq, diz assim::: A casa estava localizada fora da cidade, aproximadamente a 7km da minha casa...SÓ QUE ELE NÃO TÁ EM LAS VEGAS? EU N ENTENDI
    PENSEI QUE ERA UM FLASHBACK VEI, AFFS NÃO ENTENDI MAIS NADA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. não , 7km da casa em Las Vegas! lê lá dinovo anony! Não tem como não entender , não é um flashback como havia dito , é tudo uma armadilha de Connery!

      Excluir
  11. Aaaa mo deuso continua rss'
    Samara

    ResponderExcluir
  12. Caracolis mane kkkkk parei ta mtt foda cara vc te qq continuar logo kkkk bjs

    ResponderExcluir
  13. Amei, continua??
    Cara acabei rindo com esse final, dele saindo da Casa Sem Fim até a casa dele rindo, é hilario, para eu que tenho imaginação fértil, acabei imaginando aquela risada gostosa do Niall mesmo!
    Parabéns, novamente, continua??

    ResponderExcluir
  14. Eu ri nesse final, mas ok. Continua? >< tá perfeito.

    ResponderExcluir
  15. Continua eu to adorando...ameii

    ResponderExcluir
  16. PERFEITO! Continua estou amando, não me mate de curiosidade por favor aaaaaaah
    kissus





    >> Fanfics Forever One Direction

    ResponderExcluir
  17. OMJ q imagine perfeito... CONTINUUUUA

    ResponderExcluir
  18. ameiiiiiiiiiiiiiiiiiii ficou muito fodaaaaaaa

    ResponderExcluir
  19. cara muito foda vc é muito diva amor continuaaaaaa

    ResponderExcluir
  20. deu até um frio na barriga

    ResponderExcluir