Underworld — Capítulo O2

2 comentários
  
Capítulo II — Doce Criança
Ele vai voltar!
Ela tem olhos dos céus mais azuis
Como se eles pensassem na chuva
Odeio olhar para dentro daqueles olhos
E ver um pingo de dor
— Sweet Child O' Mine (Guns N' Roses)
Jenna Hamilton P.O.V.'s
Londres — Reino Unido
Junho de 2010
 A neve caia pelas ruas, a paisagem em branco fazia tudo parecer mais bonito. Sinceramente, Londres era um dos lugares mais belos que se pode conhecer. Sentei no banco de uma pracinha e observei as pessoas que passavam. Alguns com sua família ou namorados. Peguei meu celular e entrei em algum dos aplicativos idiotas que tinha nele.
 — Jenna? — um garoto de cabelos cacheados e olhos verdes, sentou ao meu lado. Deduzi que seria Harry, afinal, ele não parava de me perseguir. Olhei com o canto dos olhos, não queria conversar.
 — Poderia, por favor, vazar do meu campo de visão?
 — Não. — o encarei e percebi que ele sorria. Seu sorriso poderia ser o mais encantador possível, mas não me faria querer conversar com ele. — Precisamos conversar.
 Sua voz estava tranquila e muito calma por sinal, ela me chamou a atenção. Deixei o celular em cima do banco, o olhei nos olhos que estavam mais escuros, um verde escuro perfeito.
 — O que quer?
 — Rolland fez algo errado.
 — O que ele fez?
 — Matou Jeremy e não a garota.
 — Isso é um problema?
 Sim, era um grande problema e eu sabia disso. Na verdade apenas eu sabia. Jeremy não poderia ter morrido.
 — Rolland vai para Las Vegas.
 — E eu e você?
 — E você vai ficar aqui. E eu vou pro mundo. — Harry pegou seu celular e discou alguns números ignorando totalmente minha presença.
 — Isso não é justo! — me levantei e fiquei de frente a ele.
 — Oh, claro que é justo! — ele riu. — Você vai ficar com Rachel.
 Rachel? Mas que diabos era Rachel?
 — Rachel?
 Uma mulher loira caminhou até nós. Seu cabelos estavam soltos e eram um pouco volumosos, seu sorriso parecia falso e seu olhar cheio de segredos. Me virei na sua direção e ela ficou a minha frente. Essa seria Rachel?
 — Jenna Hamilton? — assenti e então ela estendeu sua mão — Rachel McQueen.
 Seus olhos de perto não pareciam trazer segurança, eu poderia confiar? Sorri, estendi minha mão e apertei a dela.
 — Esse será o começo de uma grande amizade. — Rachel falou e soltou minha mão em seguida.
Chantel Williams P.O.V.'s
 — Será que posso te roubar um pouquinho?
 Me afastei do abraço e o encarei séria. Minhas bochechas ficaram rubras e meu coração disparado, não era novidade que eu saía com Rolland, mas todas as vezes que eu o tocava algo novo acontecia comigo. Uma emoção diferente a cada toque.
 Me virei para Addison e Zayn, ainda sentados na escada.
 — Não tem problema se eu ir, não é?
 — Claro que não, anjo! — Add sorriu e então, retribuí com um sorriso maior como agradecimento.
 — Tanto faz. — já Zayn, simpático sempre, respondeu sério.
 — Okay, então vamos? — Rolland pegou em minha mão e entrelaçou nossos dedos, senti um leve choque em todo o meu corpo.
 Ele me puxou para fora de casa e colou nossos lábios na hora. Seu se encaixou no meu e ficamos parados em frente a porta nos beijando loucamente. Sua língua era feroz, mas feroz que pensei que era, a cada dia Rolland me surpreendia e eu gostava ainda mais.
 Talvez eu não estava com a roupa adequada para ir em algum com Rolland. Para um simples barman de uma boate, ele era bem elegante e fino, uma das características que mais me encantavam nele.
 — Okay, vamos parar... — interrompi o beijo com selinhos. — Daniel poderia vir aqui fora ou até mesmo Addison e Zayn.
 — Eles nunca vão saber sobre nós. — ele me encarou tão fixamente que tive vergonha que continuar o olhando. Abaixei a cabeça. — Vamos pra minha casa, está bem?
 — Finalmente vou conhecer a casa do Hamilton?
 — Ahn, parece que sim.
 Ele sorriu e sorri de volta. Rolland abriu a porta do carona de seu carro para mim e entrou entrei seguida por ele depois.
 [...]
 Entramos na imensa mansão. Era estranho acreditar que Rolland era apenas um barman, suas coisas não tinham nada de simples. Seu carro era um Porsche vermelho e quando ia ao Blue Nightclub, aparecia com um Jeep Commander preto. Carros caros e mansão incrível, talvez eu não conhece-se totalmente Rolland Hamilton.
 — Você sabe que moro sozinho, então temos a casa totalmente pra gente! — ele mordeu o lábio enquanto me puxava para imensa sala e para perto dele.
 — Totalmente nossa? — ele assentiu. — Gostei disso.
 Ouvimos passos vindos da talvez, cozinha. Nos soltamos e uma loira apareceu. Olhos azuis, pele branca, maquiagem preta e roupas minusculas em preto e branco. Ela parou o que fazia e nos encarou perto da porta, seus olhos se reviram e sua cara se transformou em total tédio.
 — Pensei que estávamos totalmente sozinhos. — sussurrei para Rolland. — E também que você morava sozinho.
 Seu músculos ficaram tensos e abaixou seu olhar, envergonhado.
 — Será que não poderei ter nenhum dia de paz nessa casa? Fala sério, Rolland, nunca vai se cansar?
 — Chantel, te apresento minha irmã, Jenna.
 — Não quero que me apresente para ninguém, principalmente para uma de suas vadias.
 Vadias? A única vadia que vejo aqui era essa tal Jenna. Fiquei quieta e olhei para Rolland que estava sério encarando a irmã.
 — O que faz aqui, Jen? — ele perguntou.
 — O que faz aqui? — repetiu a frase. — Eu moro aqui, caso não saiba.
 — Você estava em Londres.
 — Disse o certo. Estava. Não estou mais. — ela sorriu. — Vai ter que me aturar, querido.
 — Okay, não quero discutir com você. Vamos, Chantel? — subimos a escadas.
 — Podem fazer o que quiserem, prometo que coloco protetores de ouvido! — gritou. Que garota maluca!
Rolland Hamilton P.O.V.'s
 Jenna havia voltado e eu sabia que não seria bom tê-la por perto. Agora tudo tornaria irritante e eu esperava que ele não viesse depois. Esperava de verdade.
 — Me desculpe por ela...
 — Não tem problema, Ro. Vamos esquecer, okay?
 Entramos no meu quarto.
 — Podemos fazer outra do que discutir sobre isso, certo? — ela falou sorridente.
 — Certo!
 — Eu senti muito sua falta.
 Chantel colou nossos lábios. Ela me beijou com vontade, como se aquele fosse o último beijo nosso. Nossos corpos estavam colados, tão próximos, doidos para fazer coisas absurdas.
 Minha boca foi para o seu pescoço nu, o beijo calmamente. Sua pele se arrepiava a cada toque, era impressionante como eu conhecia causar isso nela depois de tantas transas. Chantel jogou sua cabeça para trás e gemeu como um sussurro.
 Ela era tão doce, tão incrível que era difícil de acreditar que eu ganhei ela. Era tudo tão errado. Agora, ela era minha doce criança, minha pequena que eu podia fazer o que quisesse. Parei o beijo no pescoço e a olhei em seus olhos azuis. Ela sorriu, o sorriso que se sempre me lembrava das memórias da infância. O seu rosto me levava para um lugar especial.
 — O que foi? — ela me acariciou.
 — Eu te amo.
 Disse e seu rosto ficou corado. Como ela poderia ser uma stripper? Eu não a escolhi para isso.
 Ignorando meus pensamentos voltei a beijá-la. Mas logo fosse interrompidos pela sua vontade de tirar a blusa. Foi o que ela fez e revelou seus belos seios que saltavam pelo sutiã.
 — Rolland! — ouvi batidas na porta. Meu Deus, que inferno!
 — Coloque a blusa. — falei para Chantel e ela me obedeceu.
 — Rolland! Rolland! Rolland! — Jenna gritava do outro lado da porta, me irritando ainda mais. Abri a porta a fazendo parar de me chamar.
 — O que quer?
 — Querem falar com você.
 — Quem?
 — Se eu contar não vai ter graça. — Jenna sorriu, seu sorriso era macabro. Me fazia arrepiar toda vez que ela sorria.
 — Okay.
 Desci as escadas e Chantel ficou no quarto junto com Jenna. Peguei o telefone que estava fora do gancho. Quem mais ligava em telefone?
 Ligação On*
 — Alô? — perguntei, mas não obtive resposta. — Alô?
— Rolland? Adivinha quem está falando? — fechei os olhos torcendo para que não fosse quem eu pensava. — Isso mesmo! Harry, seu querido irmãozinho.
Ligação Off*
 Desliguei e fiquei parado. Não queria e nem adoraria conversar com Harry. Eu queria é que ele ficasse longe de mim!
 Mas eu sabia que não ficaria. O telefone soou pela sala, o som dele tocou quatro vezes até eu atender.
Ligação On*
— Você desligou na minha cara, que coisa feia!
— Vá pro inferno.
— Já ouvi você dizer isso uma vez, lembra quando m.
— O que você quer comigo? — o interrompi antes que terminasse sua frase.
— Um aviso.
— Qual aviso? — ele fez um suspense assustador. Harry era cheio de graças.
— Eu irei voltar e quero o meu quarto bem arrumado, Rolland.
Ligação Off*
 O circo estava formado agora.

CONTINUA...
Olá de novo! Mais capítulo e mais um obrigada por cada comentário, ficou mesmo muito feliz com cada um e estou respondendo todos :) Bom, os primeiros capítulos nunca ficam como queremos, infelizmente, mas acho que todos são assim até entendermos do que a história se trata. E eu AMO a Jenna, espero que gostem dela. Até mais, meus moranguetes O/ 

Our Destiny - Capítulo quatro / 2ª Temporada.

28 comentários
Capítulo quatro – Finalmente.
E então tudo começa a dar certo.
SeuNome P.O.V’s 

            Saímos do ginásio, juntos. Eu, Zayn, Liam Cameron, Taylor, Jéssica, Paige, Zoe e Aline. Louis vinha logo atrás com Harry, Anice, Sidney, Niall, Laura e as vadias demais. Camila caminhava na nossa frente enquanto mexia em seu celular, em alguma coisa que ela não deixava ninguém ver, Zayn tinha até zoado ela por isso. Mas ela não ligou. Escutei Sidney falar alguma coisa com o meu nome, mas eu também não liguei, não era necessário perder o meu tempo com essa garota, ela não merecia. Benjamim apareceu na minha mente enquanto caminhávamos, recordei-me que desde que cheguei não falei com ele, não odiava Ben por ter me tocado aquele dia, mas queria afastá-lo de mim.

Laura: E então Niall Horan..... – sua voz afetada silenciou todo o local quando saímos do prédio, avistando só gramado e árvores. – Seu nome é de que origem?
Niall: Eu nunca parei para saber dessas coisas. – respondeu colocando o braço em volta do pescoço de Sidney.
Aline: Porque ela está fazendo essas perguntas? – sussurrou enquanto encarávamos com uma expressão confusa.
Camila: Porque ela é demente. – Camila parou e guardou o celular no bolso, esperou-nos e nós três ficamos para atrás enquanto os demais continuavam andando. – Eu odeio essa vadia.
Aline: Calma, ela não fez nada de errado ainda.
Camila: Coloca o seu corpo inteiro no fogo então. – respondeu olhando pra Aline.
Aline: Você sabe que não fez sentido não é?
Camila: O quê? – olhou confusa. Ally deu ombros e gargalhou fazendo com que nós duas gargalhássemos também, não ria da careta da Camila, ou da forma que confundia as coisas e sim da risada de Aline, era alta e diferente, o que me fazia rir. Nos aproximamos de todos e eu me sentei um pouco mais afastado, junto com Aline, Lidjan, Megan e Camila. Cruzei as minhas pernas e escutamos Laura permanecer com a sua pergunta para Niall, oh céus, ela ainda não tinha acabado?
Laura: …. Mas porque você se chama Niall Horan? – cerrei meus olhos e fiz uma careta desacreditada no que ouvia.
Camila: Niall Horan se chama Niall Horan, porque o primeiro nome é o Niall e o último é Horan. – Respondeu como se fosse obvio de mais, abrindo os braços devagar ela fez uma careta enquanto todos olhavam para ela. Sidney bufou.
Zayn: Sim, Camila.... você está totalmente, certa. – fez um sinal com o polegar fazendo Camila sorrir, a forma que Zayn tratava seus amigos bem, era maravilhoso.
Laura: Certa?
Liam: Obvio, porque se o Niall Horan se chamasse Taylor Caniff eu não sei dizer mas o primeiro nome seria Louis e o último Tomlinson. – todos começaram a rir, e Liam também, ele era tão idiota as vezes.

            Deixei a atenção por alguns segundos e encarei a tela do meu celular, eu queria ler aquela mensagem a cada minuto de toda as minhas 24 horas, eu sorria. “Quem me vê com a Anice juntos, nem imagina que é você que eu quero do meu lado” Tinha me deixado de pernas bambas e o meu coração batia tão forte que era inevitável não sorrir, minhas bochechas queimavam e meus lábios doíam de tanto que sorria atoa. Li a mensagem pela milésima vez e foi antes de bloquear meu celular que eu recebi mais uma, do mesmo remetente anterior, sorri sem mostrar os dentes e abri a mensagem quase cravando a minha unha na tela de vidro do celular. “Quem vê seu sorriso tão lindo não imagina que ele é todo pra mim” e antes que eu pudesse ficar vermelha meu celular vibrou de novo. “Seus lábios estão sussurrando meu nome, eu consigo ouvi-los daqui” Mordi meus lábios deixando um largo sorriso aparecendo aos poucos, minhas mãos tremeram debaixo do smartphone, olhei para o Harry que deu um piscadela e depois assentiu com um meneio de cabeça, logo abaixando a sua cabeça e encarando seus dedos com alguns anéis. Todos conversavam com entusiasmo mas meus olhos estavam fixos em Harry e em como ele me deixava assim, feliz e boba mesmo depois de tudo que tenha feito.

– SEUNOME, VADIA ACORDA! – olhei pro lado enquanto escutava a voz irritante da Jéssica em meu ouvido.
Eu: O que é? – abri os braços e ergui minha cabeça olhando fixamente agora, para ela.
Jéssica: Você vai para Paris, ou prefere ir pro Brasil visitar sua família?
Eu: Minha família moram aqui, na Inglaterra.
image
Jéssica: Não importa! – cruzou os braços e eu cerrei meus olhos. – Mas responda a minha pergunta.
Eu: Vou para Paris, com vocês! Ahn.... vocês vão não é?
Camila: Claro que vamos, vou pegar os franceses. – falou alto.
Aline: E quem você não pega, amor?
Camila: Seu irmão? – falou, fazendo uma careta e as duas levantaram os braços tocando suas mãos.
Aline: Senti sua falta. – falou alto e o Zayn pigarreou. – Senti sua falta também, Badboy. – encheu a boca para falar “badboy” e Zayn que estava em pé, fez uma pose superior passando as mãos pela barba para fazer e piscou. Escutei Anice soltar um gemido fino e levantar com tudo, jogou o celular que segurava em cima de Harry fazendo ele se assustar e em fração de segundos ela se aproximou de mim e tentou acertar um tapa em meu rosto, mas Zayn recebeu ele por mim.
Zayn: Ai que droga, Anice! – reclamou colocando a mão no rosto, prendi as minhas mãos, Harry levantou num pulo indo em direção a Anice e segurando-a pela cintura. Ela começou a estapeá-lo e eu ainda não tinha entendido o porque.
Harry: A-Anice, para! – pediu mas a garota continua, estapeando nos braços, no ombro, no rosto.
Anice: PUTE! – ela começou a gritar pra mim um monte de coisas em francês que eu só sabia por ela usar um sotaque francês, eu me assustei quando ela parou e começou a respirar bem devagar. – SeuNome, eu confiei em você, quando você veio para a escola eu pensei “Ela não é tudo isso” e quando o Harry chegou e eu vi vocês dois juntos eu pensei “Talvez seja só uma amizade, não tem com o que se preocupar” MAS VOCÊ PASSOU DOS LIMITES. – voltou a falar o idioma que eu entendia e eu a encarei assustada, Zayn se afastou aos poucos de mim quando percebeu que Anice não tentaria me atacar. Aparentemente. – MAS SEUNOME.... – respirou calma – Você e o Harry ficavam enquanto eu estava escrevendo cartas e me dedicando não ser uma pessoa com má aparência para ele, tentando não me importar com todas vocês, tentando ser amiga de pessoas como você, para parecer uma melhor pessoa, para que ele não achasse que eu fosse uma puta francesa, eu estava me dedicando todo esse tempo e vocês dois estavam juntos.
Harry: Anice, não é bem assim. – ele a soltou e ela olhou pra ele.
Anice: Não é bem assim? E essa mensagem, quem vê eu e você juntos mal poderia imaginar que você deseja a SeuNome. POR FAVOR STYLES, O QUE ELA TEM QUE EU NÃO TENHO? – gritou contra seu rosto e Harry respirou fundo passando as mãos no cabelo.
Harry: Tudo. – falou calmo e baixo, eu escutei porque tudo em minha volta tinha se silenciado, todos encararam a Harry tentando ouvir o que ele dizia, senti um flash quente em meu rosto e fechei meus olhos rapidamente. – Camila. – ele falou com a sua voz rouca e desacreditada, olhou pra Cams que tinha acabado de tirar uma foto dele com a Sidney e da minha expressão surpresa.
Camila: Preciso ganhar meu lugar de volta no jornal. – mandou um olhar matador pra Laura, entendi que ela estava no lugar de Camila quando ficamos fora.
Anice: Tudo? – abriu os braços, aquele momento estava muito tenso.
Harry: Tentei esconder de mim mesmo o que eu via, meus olhos não enxergava o que o meu coração já sabia.
Anice: Você é tão gay, Styles. Tão GAY! – gritou desesperada e deu um tapa em seu rosto. – Quero que todos fiquem sabendo, tentei dar prazer ao Styles mas ele tem ejaculação precoce. – escutei uns “UH” vindo de fundo e o Harry deixar os ombros cair irritado, passou as mão no rosto avermelhado e revirou os olhos aflito.
Zayn: Faz alguma coisa! – disse com o nariz perto da minha bochecha, virei-me rapidamente e Zayn se afastou pros nossos lábios não se tocarem.
Eu: O que você quer que eu diga? Eu não sei nada a respeito disso.
Zayn: Diz que ele não é, diz que ele teve ejaculação precoce porque só você sabe satisfazer. Vai SeuNome.
Eu: Mentir?
Zayn: Não é pecado mentir quando você vai ganhar o coração de quem você ama. – ele falou rapidamente e eu respirei fundo, Laura e Sidney riam de Harry.
Harry: Ejaculação....
Anice: PRECOCE. – bateu palmas e Harry passou a mão direita no cabelo, percebi que ela ia sair, me empurraram pra frente e nem deu tempo de ver quem tinha sido, talvez Zayn, talvez Aline já que a ruivinha escutava a nossa conversa. Segurei o braço de Harry impedindo dele sair dali, um olhar reprendedor foi o suficiente para eu querer soltá-lo, mas não o fiz, o olhar de Harry continuou caído sobre mim, ele não tentou se mover, e nem se soltar, apenas esperava o que eu tinha pra falar.
Eu: Talvez o corpo que Harry tocou, não é tão bom o suficiente quanto o meu. Você sabe precisa de alguém muito boa mesmo pra satisfazer um homem como esse.

            MAS QUE MERDA EU TINHA ACABADO DE FALAR?

            Eu ria por dentro enquanto minha expressão por fora era de uma sobrancelha arqueada e os lábios franzidos, levantei a cabeça devagar e cerrei meus olhos olhando em direção a Anice, percebi o quanto eu poderia ser superiora quando queria, percebi o meu poder sobre qualquer situação quando vi o olhar de Anice aumentar, arregalando-se devagar e ela ficar sem fala.

Anice: Ah por favor, garota. Você e o Harry transando? Você mal sabe beijar. Tão inocente. – debochou.
Eu: Você não sabe o que pode acontecer entre uma garota inocente e um belo cara como o Styles. Você não sabe dos escuros que ficamos juntos e por onde nossas bocas percorreram, então querida francesinha, se eu fosse você não perderia o seu tempo falando sobre o que você e eles fizeram, porque a melhor com certeza, sou eu. Se contenta com isso.

            Eu estava sendo a vilã? Ou a vingativa? Eu não sabia dizer o que eu estava sendo, mas estava me sentindo malvada por dentro, minhas pernas e mãos tremiam, mas eu não me importava, era tão bom saber que eu poderia surpreender as pessoas, mesmo que fosse mentira, idai eu não me importava, gostava do sentimento de ser superior e calar as bocas das pessoas de vez em quando. Anice ficou perplexa, e não só ela, todos que estavam ali estavam também. Escutei um grito de comemoração vindo de Aline que sempre botava lenha na fogueira, e então a risada escandalosa de Niall se espalhou pelo lugar. Anice tirou o olhar de cadela de rua de mim e olhou pro Harry, aproveitei para descer minha mão de seus braços e entrelaçar nossos dedos, o que Harry fez com o maior orgulho me surpreendendo.

Anice: Isso é verdade, Styles?
Harry: Styles! – repetiu e passou a mão em seu queixo. – Para de me chamar assim, Anice.
Anice: Responda a minha pergunta, Harry?
Harry: O que é verdade? – rolou os olhos e apertou meus dedos.
Anice: Você e a sem sal dormiram juntos?
Harry: Mas eu acho que a resposta já foi dita não? Saiu dos lábios mais maravilhosos do mundo.
Zayn: Enfase, nos lábios que fazem maravilhas no corpo do Styles, segundo ele. – segurou o meu rosto fazendo Harry me olhar sorrindo, eu estava vermelha parecia um tomate, minhas bochechas queimavam, por mais que fosse tudo mentira eu me sentia envergonhada por isso, eles adoravam brincar e eu estava me divertindo mas estava tímida. Pensei por um momento, tenho certeza que Ally ou Cams, responderia algo como “YEAH VERDADE SUA VADIA” e ri baixo escutando a voz das duas em minha mente.
Anice: Eu não acredito, Harry! Você disse que gostava de mim. – seus olhos se encheram de lágrimas e eu fiquei com dó, sim, fiquei.
Harry: Acho que as pessoas mudam, conforme o tempo passa.
Anice: Você é um desgraçado, Styles!
Harry: EU JÁ DISSE PRA VOCÊ PARAR! – ele assustou tanto a ela quanto a mim, fui para atrás, mas não me soltei de sua mão, Harry respirou fundo. – Anice, para de me encher o saco, por favor.
Anice: Então é isso, enquanto você estava comigo, você pensava nela? – ela já chorava, e Sidney apareceu ao lado dela.
Sidney: A pergunta é, como você teve coragem de pensar nessa garota enquanto estava com Anice?
Camila: A pergunta é, quem te perguntou alguma coisa? – olhei para Cams, que tinha uma expressão questionadora, uma sobrancelha arqueada e um sorriso fraco. Sidney ergueu a mão mostrando o dedo do meio. – Muito maduro, riquinha.
Sidney: Não tenho tempo para você. – cruzou os braços e olhou para o Harry esperando explicações, mas ele não devia a ela, devia?
Harry: Vocês me conhecem a quanto tempo? Seis anos, sete anos? Souberam que eu estava em casa todo verão não souberam? Afinal vocês sabem quase toda a minha vida, mas para deixar explicado, teve um verão que eu estive um pouco mal. – respirou fundo – Precisava de amigos, precisava de um abraço, precisava de alguém que ficasse do meu lado, conversasse comigo. Alguma de vocês estavam lá?
Sidney: Eu não sei do que você está falando, Harry?
Harry: Eu quero dizer que quando precisava de alguém, ninguém estava ao meu lado. Mas houve uma garota, uma pequena garota dos cabelos longos e os olhos marcantes, não podia me ver, mas podia me ouvir. Não pode me sentir mas podia saber o que eu sentia, não podia me abraçar mas me confortava só de estar todos os dias lá, do lado de fora, perguntando se eu estava bem, se precisava de algo. Eu não tinha amigos, não tinha ninguém, eu sofria do lado de dentro e sentia vergonha do lado de fora, minha irmã e minha mãe me viram em um verão inteiro de uma forma que ninguém viu, e se querem saber eu nunca tinha ficado tão bem com a presença de alguém depois de tudo que eu fiz, foi como se eu estivesse vivo de novo. E olha só, vocês que estão cobrando compaixão, cobrando respostas, cobrando algo de mim, não estava lá me ajudando a superar, nem ao menos um telefonema, vocês não merecem minhas explicações sobre meus sentimentos confusos, não merecem absolutamente nada. Porque a única pessoa que se importava comigo mal sabia quem eu era, mal sabia meu nome de verdade, mal sabia minha expressão, mal sabia como eu me sentia de verdade. E mesmo assim se importou, e eu sabia desde a primeira vez que pessoas assim são para a vida a toda e que eu deveria ter aquela garota pra mim, porque eu nunca encontraria alguém como ela, eu nunca encontraria alguém melhor, porque não existe. O destino nos uniu de novo e eu tive a sorte de tê-la comigo. – olhei para Harry e eu já não conseguia conter as lágrimas que escorria dos meus olhos.
Eu: Você....
image
Harry: Não precisa dizer nada, eu sei que você sabe que eu sou ele desde o dia que foi para a casa do Zayn, eu sei que você sabia desde o primeiro momento que me viu. Talvez a sua mente fizesse com que você negasse isso, mas o seu coração me reconheceu desde o primeiro momento.
Anice: Você é nojento. – me interrompeu assim que gesticulei meus lábios para falar alguma coisa. – Romântico? Pra mim você é gay, e toda a escola saberá disso. ELA TE ENVIOU CARTAS DE ÓDIO, HARRY.
Liam: Cala a sua boca sua patricinha mimada. Esquece o passado – Liam gritou lá do fundo. – Deixa o cara amar a menina.
Aline: Ela é uma....
Jéssica: INVEJOSAAAAAAA! – Jéssica gritou batendo palmas e todos riram e eu que sempre achei Jéssica um pouco chata, estava começando a gostar dela.
Anice: Vocês acreditam mesmo que esse menino é romântico? Ele quer comer ela.
Zoe: DE NOVO?! – gritou como se fosse obvio e eu abaixei a cabeça e me silenciei.
Harry: Comer? Você fala como se as mulheres fossem um pedaço de carne. – revirou os olhos – Eu não preciso que você acredite que eu sou alguma coisa, eu não preciso que nenhum de vocês acreditem, porque eu sei quem eu sou, e sei o que eu faço, não preciso provar nada pra ninguém.
Anice: Eu não ligo, Harry! A única coisa que me culpo foi por ter confiado em você, você me usou.
Harry: Você queria ser usada.
Anice: Eu não.... – ela não terminou balançou a cabeça, e abriu a boca em surpresa, andou até a minha direção e Harry foi um pouco a minha frente, para tentar me defender. – Conheça o seu pior pesadelo, SeuNome.
Aline: UUUUH! Que medo dela, gente vamos nos reflexionar diante a nossa rainha.
Louis: Cuidado Ally, ela nos levará a Azkaban. – os dois riram, e eu fiquei em silêncio, afinal ela estava ameaçando a mim.
Anice: Deixem seus amigos brincarem com coisa séria, amorzinho. Você vai conhecer o inferno.
Harry: Não Anice! – colocou a minha frente. – Você vai conhecer o inferno se fizer alguma coisa com a SeuNome, porque você não sabe realmente do que eu sou capaz, sua vadia.
Camila: Eu escutei um “sua vadia”? – gritou e tirou uma foto da expressão de Anice, seu rímel borrara todo o seu rosto.
Zayn: Eu escutei um “Mal comida”? – Zayn entrou na brincadeira atrás de mim, e os meninos riram.
Taylor: Eu escutei um “Cadela no cio”?
Cameron: Não, não, guys. Eu escutei ele dizer que ela não era tão gostosa quanto a SeuNome e por isso não teve tanto prazer. – todo mundo riu e eu arregalei meus olhos com o nível que a brincadeira tinha chegado.
Niall: Chega, galera.
Sidney: Deixa, Nialler. Eles adoram brincar com fogo, cuidado que quem brinca com fogo, mija na cama.
Paige: Af garota, já deu né? Do tanto que a sua amiga já foi humilhada eu já teria ido embora. Ninguém merece essas pessoas que não acordam pra vida, eu não tenho paciência para iniciantes. – levantou de onde estava e saiu andando. Zoe foi logo atrás. O sinal tocou logo em seguida e Anice continuava olhando pro Harry enquanto chorava, eu estava com dó ainda.
Harry: Acabou Anice, não quero mais nada com você e com esse seu ego extremamente ridículo.
Anice: Você não pode acabar comigo assim.
Harry: E você acha que depois disso tudo, ainda vamos ficar juntos?
Anice: Harry, você vai me trocar por essa garota?
Harry: Você sabe que nunca foi minha prioridade.
Anice: Todos me querem.
Harry: Olha bem pra minha mão, está entrelaçada com a sua? Olha bem pra mim, eu estou ao seu lado? – Harry segurou meu queixo e me virou pra ele. – Olha bem pra isso. – me selou rapidamente e olhou pra ela – Eu estou beijando você? Não, não, nada disso é com você. Então isso responde essa sua frase idiota. Depois dessa humilhação eu ficava na minha e o recado já foi dado. Encosta um dedo na SeuNome, que eu acabo com você. – ele apertou com força a minha mão e me puxou, praticamente me arrastando dali.

Continua.... 
<< Capítulo Anterior


HARRY SEU FOFOOOOOOOOOOOOOOOO! 
Gente vocês tavam falando que o Harry tava muito chato, ele não tava chato ele só tem frescura e ele é mto bipolar, na verdade o harry é o meu humor se eu estiver de bem com a vida ele vai ser fofo e amigável se eu estiver triste ele vai ser chato e irritante. Então já podem saber, ele é bipolar.
E eu quero mais barraco, quero mais gente sambando, quero Harry e SeuNome, quero Zayn metendo o dedo em tudo. QUERO A SEUNOME SAMBANDO MUITO! 
Gente, espero que gostem hein. até mais.