+ I'm Here For You - Capitulo 6

- Novos Sentimentos
Eu derrubei alguém que aparentemente não sabia nadar em uma piscina. O que eu iria fazer? Estava em pânico e não havia mais ninguém ali. Eu não podia pular, sabia exatamente a fundura daquela piscina e era muito além do que meus 1,80. Olhei em volta, ninguém. Levei as mãos até a cabeça e a olhei. Ela parecia ter parado de se bater, provavelmente havia engolido água demais. Eu não tinha escolha, precisava ajudá-la. Deixei meu celular em cima de uma das cadeiras e tirei meus tênis correndo. Encarei a piscina desejando ter outra opção. Me apoiei na borda e pulei. Ela não estava muito para o fundo e se eu me segurasse na borda talvez pudesse puxá-la ou algo do tipo. Eu respirava fundo, estava tremendo demais. Não só pelo medo, mas pelo frio também. Com uma das mãos eu me segurava na borda e com a outra eu tentava alcançá-la. Não dava. Tentei com uma das pernas, confesso que foi um pouco difícil, mas quando minha perna encontrou a dela eu a puxei pra perto. Só tinha um problema.. Como eu iria sair com ela se não podia me soltar da borda? Meus pés nem ao menos alcançavam o chão, já que ela havia caído na parte mais funda da piscina. Me pergunto o porquê de uma piscina tão funda em um Hotel onde havia tantas crianças. Meu braço esquerdo estava começando a ficar dormente pelo peso dela sobre o mesmo. Eu ainda me segurava com o braço direito, mas este também já estava começando a fraquejar. O que eu iria fazer? Ótimo, Zayn Malik preso por matar uma garota afogada, se eu sobrevivesse, é claro.
Eu: SOCOOOOOOORRO! – gritei novamente.

XX: Ei, o que houve? – Alguém perguntou puxando a menina de meus braços, me ajudando.
Eu: Eu esbarrei nela e ela caiu na piscina.
XX: Tem muito tempo isso? – ele perguntou a estendendo no chão.
Eu: Não. – eu falei saindo da piscina. Ele estava fazendo respiração boca a boca e se aproveitando um pouco da situação a julgar pelo sorriso.
Eu: Escuta, eu posso fazer isso. – falei tentando evitar.
XX: Você já quase a matou, quer tentar de novo?
Eu: Tudo bem. – permaneci em pé, de braços cruzados, nervoso. Quando ela começou a tossir.

ó então eu a vi, pela primeira vez. Ela tossia bastante e levava a mão até o peito, parecia sentir dor e dificuldade pra respirar. Meu mundo parou, era como se nada mais estivesse acontecendo. Era como se.. Eu estivesse petrificado, e eu estava. Não consiguia me mexer. Ela tinha lindos olhos castanhos e uma pele muito clara. Ela não tinha NADA comparado às Londrinas que exibiam seus olhos azuis ou verdes, seus cabelos loiros e seus corpos esculturais. Não, muito pelo contrário. Ela era.. Simples. E era justamente isso que me chamou a atenção. Vi seus olhos correrem em volta até parar em mim, a simplicidade do seu olhar me encendiava. Meu coração estava prestes a saltar pela boca. Ela era perfeita, perfeita pra mim. Ela disse em uma voz fraca que estava bem, que podia se virar, mas não tinha forças para ficar de pé sozinha. Eu olhei para o seu rosto, ela chorava. Provavelmente – assim como eu – ela tinha medo de águas fundas. E eu fui o culpado por deixá-la dessa forma. O que eu estava sentindo? Uma mistura de sentimentos tão grande que a minha cabeça latejava. Eu me sentia culpado por tê-la deixado tão perturbada, me sentia constrangido por tê-la afogado e me sentia.. Nas nuvens por estar vendo alguém tão bela. Eu estaria numa confusão muito grande se a Perrie me visse naquele momento, parado por conta de uma menina. Espera.. O que eu estou fazendo? E quanto a Perrie? Tal pensamento me fez sair dos meus devaneiros e sacodir a cabeça. 
Eu: Sin.. Sint.. Sinto.. Muito. – falei.
XX: Eu devia ter olhado pra frente também. – ela tentou se levantar e eu a ajudei. Seu toque era macio, suave demais. Minha pele formigava com o toque de nossas mãos.
Eu: Foi culpa minha. Estava com raiva, acabei andando rápido demais.
X: Ele quase te matou – o garoto falou.
Eu: Olha, você já ajudou. Está só atrapalhando agora.
X:Você estará bem com ele? – ela fez que sim com a cabeça e ele saiu.
Eu: Aqui está. - Eu me abaixei, peguei a bolsa  e a toca dela que havia caído no chão e a entreguei.
XX: Pode me soltar, Zayn, eu estou bem. – ela falou em meio a uma risada. Seu sorriso era tão lindo. Levei uma das mãos até o cabelo, um pouco nervoso.
Eu: Certeza? Não precisa de nada?
XX: Olha, pra falar a verdade eu preciso.
Eu: Pois então diga.
XX: Preciso de uma foto. – ela disse rindo. – E depois de uma informação.
Eu: Cuidaremos da foto. Mas.. Informação?
XX: É, eu queria saber onde fica um lugar.
Eu: Qual?
XX: Eu não sei, meu papel ficou na água.
Eu: Então como você espera que eu saiba? Bola de cristal? – falei rindo nervosamente.
XX: haha, espertinho. Eu queria ir a um lugar chamado.. chamado.. como era mesmo o nome?
Eu: Eu não sei.
XX: Espera. Era.. Grilled Chicken.
Eu: Puxa, mas isso é longe demais pra ir a pé.
XX: Pode me explicar onde fica?
Eu: Posso te levar até lá. – O quê? O que deu em mim? Eu não poderia de maneira alguma levá-la até lá. Não com a Perrie no módulo ataque.
XX: Não iria te causar problemas?
Eu:Não claro que não. – Claro que ia. Porque eu não falo o que penso? – Mas Liam está com o meu carro. No Nando’s próximo daqui. E de taxi até lá aposto que vai ser bem caro, é meio contramão.
XX: Não me importo de ir andando até lá, eu ainda não tomei café.
Eu: Não me diga que você come aquelas besteiras no café também?
XX: A verdade é que eu como qualquer coisa no café da manhã. – ela falou rindo. Acho que eu acabei de encontrar a versão feminina do Niall.
Eu: Não acredito, e eu estava fugindo do Nando’s.
XX: Não tem problema, se não quiser eu..
Eu: Não. Tudo bem. Não quer se secar antes? – ela apenas fez que não com a cabeça.
XX: Estou bem.
Eu: Niall vive me enchendo pra levá-lo ao Grilled.
XX: Então deve ser bom.
Eu: Conhece o Niall, tudo que tem fastfood é bom pra ele. – ela apenas riu e meu estômago se revirou.

O que deu em mim? Eu não sei. Não sei mesmo. Estar perto dela era como.. Era como.. Como se eu fosse novamente Zayn Malik, um simples garoto de BradFord e isso me confortava bastante, pra ser sincero. Estar com a Perrie envolve muitas coisas, envolve minha carreira, envolve a carreira dela, envolve nossos trabalhos e nossa vida pessoal ao mesmo tempo. Não que isso atrapalhasse demais, mas.. eu queria ser tratado como uma pessoa normal. Não como o garoto famoso da One Direction. Era pedir muito? Me sentei em uma das cadeiras e comecei a colocar meus tênis devagar, estava refletindo no que tinha acontecido. Ainda não conseguia acreditar que eu havia pulado em uma piscina apenas para salvar alguém, nunca pensei que eu pudesse fazer isso. Peguei meu celular e a olhei, ela havia tirado a jaqueta e a torcia, tirando o excesso de água. Ela vestia uma blusa do Brasil, e a julgar pela escrita, provavelmente fora comprada lá. Seus olhos não saíam da jaqueta molhada e eu tinha um sorriso bobo. Ela não era daquele tipo de menina que tinha todos os quesitos especiais. Era uma menina simples. Com uma voz que fazia meu coração disparar. E justamente por isso ela me chamou tanto a atenção, por ser normal. Por ser.. Simples. Isso a tornava especial.


XX: Zayn? – só agora percebi que ela me olhava. 
Eu: Hn? Quê?
XX: Você está com uma cara de retardado, me faz pensar que estou sendo sequestrada.
Eu: Não diga bobagens.. – só agora percebi que não sabia o nome dela – Você não quer ser sequestrada. Quer? – Perguntei enquando fazia uma careta.


XX: Ai céus, não faça essa cara. – ela falou levando a mãos até a barriga, rindo.
Eu: Como você disse que era seu nome?
XX: Eu não disse. – ela falou rindo.
Eu: Então.. Qual é?
XX: SeuNome.
Eu: Desculpa. Como é?
SeuNome: SeuNome.
Eu: Não vou arriscar.
SeuNome: SeuApelido.
Eu: Não ajudou.
SeuNome: Bennet.
Eu: Melhorou.
SeuNome: É meu sobrenome.
Eu: Seu nome é bem complicado. – Ela apenas riu e amarrou a jaqueta na cintura. Ela estava usando uma jaqueta versaty, isso me chamou atenção. – gostei da jaqueta.
SeuNome: Eu sei.
Eu: Hn?
SeuNome: Oras, você é Zayn Malik, acha que eu não sei que tipo de roupa você usa?
Eu: E eu pareço o sequestrador?
SeuNome: Estou mais para fã.
Eu: Certo, fã. Vamos antes que as ruas fiquem movimentadas demais. – Ela confirmou com a cabeça.

Ela era uma fã? Uma fã minha? E porque cargas d’águas ela não havia simplesmente surtado quando soube que eu a derrubei na piscina? Quer dizer, era o que muitas fariam. Porque ela era tão diferente? Porque ela era tão.. Especial assim? Seus olhos brilhavam, mas eram misteriosos, era difícil saber exatamente o que ela estava sentindo, acho que era por isso que eu insistia tanto em encará-la. Eu tinha acertado, as ruas estavam realmente vazias, foi bem fácil despistar paparazzi indo por caminhos menos conhecidos.
Eu: Você não é daqui, não é?
SeuNome: Não, não sou. – ela respondeu dando um sorriso envergonhado. Como ela era perfeita. 
Eu: Brasil, certo?
SeuNome: Aham.
Eu: Eu pensei que as brasileiras fossem mais.. Mais..
SeuNome: Bronzeadas? Todo mundo diz isso, sabia? – ela começou a rir, e eu apenas sorri, contagiado pela simplicidade dela.
Eu: Mas esse é seu jeito especial. 
SeuNome: Pois é. – ela disse completamente corada. Não sei até onde isso iria, mas eu estava evitando lembrar daquela pessoa com P.
Eu: E como veio parar em Londres?
SeuNome: Minha mãe é bem influente. Conhece muitas pessoas aqui. Me arrumou um curso, e.. Bom.. Livrou-se de mim.
Eu: Eu duvido muito que ela queira se livrar de você.
SeuNome: Você não a conhece.
Eu: Não. Mas estou te conhecendo, seria meio impossível.
SeuNome Mas não é. Isso é.. – ela parou de falar quando seu celular apitou dentro da bolsa.

Não consegui entender bem o motivo no início. Eu apenas queria ficar ao lado dela, a conhecer melhor e agora eu entendi. Ela era diferente, diferente de onde veio. Ela era diferente no próprio mundo, no próprio lugar onde vivia, exatamente como eu. Me sinto diferente dos outros, sinto que eu sou diferente e talvez por esse motivo eu me simpatizava tão bem com ela. Eu a olhei novamente saindo dos meus devaneios e ela estava pálida e parecia um pouco tonta. Automaticamente eu a segurei, não sei dizer, meu coração estava disparado e eu estava nervoso. Não sabia o que estava acontecendo e aquela onda de formigamento que invadia meu corpo – por conta da proximidade em que nos encontrávamos – só complicava ainda mais.
Eu: SeuNome, SeuNome, o que aconteceu? Você tá bem? Me diz.
SeuNome: Você pronuncia meu nome de uma maneira engraçada. – ela tentou sorrir, mas estava bem nervosa.
Eu: O que aconteceu? – tentei não deixá-la fugir do assunto principal.
SeuNome: Zayn.. Eu posso encontrar meu caminho sozinha.
Eu: O que está dizendo? Você não sabe andar aqui.
SeuNome: Pois eu peço informação.
Eu: Está maluca? Isso pode ser perigoso.
SeuNome: Ficarei bem.
Eu: O que está querendo dizer com isso?
SeuNome: Que eu quero continuar sozinha.
Eu: Nada disso, olha como você está e.. – só então entendi. O celular. – SeuNome, o que tinha no celular?
SeuNome: Zayn.. Por favor..
Eu: Me deixe ver. – ela se afastou e eu a segurei pela mão. – Me deixe ver.
SeuNome: Certo. – ela me entregou o celular.
Eu: Aproveitando os seus quinze minutos de fama? – Li em voz alta. Olhei em volta e tinha apenas um carro preto andando devagar pela rua deserta. – Vem. Corre. – eu a puxei pela mão e comecei a correr. Tinha apenas um beco onde claramente um carro não entrava. E caso seguisse por ele, chegaria à outra rua, porém teria como quebrar no meio do caminho e dar em uma rua diferente, eu conhecia perfeitamente por já ter sido seguido por paparazzi e fãs.
SeuNome: Zayn.. Espera.. Espera.. – ela parecia sem fôlego e eu parei de correr.
Eu: Quero saber essa história direito. Era número privado. – Ela abaixou a cabeça e eu pude ver lágrimas escorrerem. – Ei, não chore. 
SeuNome: Eu não sei quem é.
Eu: Nenhuma ideia?
SeuNome: Nenhuma. – ela falou em meio a soluços. Como eu odiava ver alguém a fazendo manchar seu delicado rosto com lágrimas.
Eu: Vamos até a policia.
SeuNome: NÃO!
Eu: Porque não?
SeuNome: Zayn, essa pessoa me conhece o suficientemente bem para me matar a qualquer momento.
Eu: Mas o que irá fazer?
SeuNome: Esperar ele se prontificar. 
Eu: Isso não iria ajudar muito.
SeuNome: Vou esperar que ele ou ela resolva aparecer.
Eu: E você vai esperar isso sozinha? 
SeuNome: Vou.
Eu: Tem noção do perigo que está enfrentando?
SeuNome: Não tenho mais soluções. E você não irá contar a ninguém.
Eu: O que?
SeuNome: Não irá contar a ninguém.
Eu: SeuNome, podemos te ajudar. Me deixa te ajudar. – eu não sei, posso estar ficando maluco, mas, eu sentia uma necessidade enorme de ajudá-la. Eu queria protegê-la. Queria cuidar dela.
SeuNome: Não. Não podem. Você não pode Zayn. Você é apenas um cantor e isso não vai mudar. Eu não vou fazer com que isso mude, pelas directioners. Por favor, me deixa continuar sozinha. 

Ela se virou e simplesmente saiu andando. Eu fiquei ali, parado, pensando no que tinha acabado de ouvir. “apenas um cantor”, essa pequena frase martelava na minha cabeça como se não fizesse sentido, como se eu me negasse a admitir que fosse apenas isso. “pelas directioners”, por elas? Eu faço tudo e qualquer coisa por minhas directioners, elas merecem mais do que recebem de mim, muito mais, e eu estava abrindo mão de ajudar uma delas. Que tipo de cantor eu seria? Que tipo de pessoa eu seria ao recusar uma ajuda? Que tipo de ser humano eu seria deixando uma menina sozinha em Londres correndo perigo? O pior de todos. Comecei a correr até alcançá-la. Ela não queria me ouvir, queria apenas ir sozinha. Eu a segurei pela mão e puxei, sem machucá-la.
Eu: Me escuta.
SeuNome: Não.
Eu: Me escuta, SeuNome.
SeuNome: Vai embora Zayn. Volte para o seu mundo. Volte para o seu castelo.
Eu: Escuta aqui. Eu não vivo em um castelo. Eu não vivo rodeado por empregados como você pensa.
SeuNome: Ah não? Então como é? – ela me encarava, e eu via o medo em seu olhar.
Eu: Eu não sou assim. Que droga. Sou apenas.. Apenas Zayn. O garoto de BradFord que quer te proteger.
SeuNome: E porque você quer me proteger?
Eu: EU NÃO SEI! – gritei e a soltei. – Eu não sei..
SeuNome: Zayn.. Obrigada pela piscina. Eu sei que você pulou por minha causa. – a voz dela era baixa, quase como num sussurro.
Eu: Você viu?
SeuNome: Vi.
Eu: Ta tudo bem, afinal eu te derrubei.
SeuNome: Não.. Obrigada. Você poderia ter morrido ao tentar me salvar. 
Eu: É, acho que isso me torna um super-herói.
SeuNome: Você é um idiota. – ela me deu um soco fraco no meu braço e eu apenas ri.
Eu: Auch! Não precisa agradecer.
SeuNome: Só quero te pedir uma coisa.
Eu: Hn?
SeuNome: Só prometa uma coisa, nunca mais tente salvar a minha vida.
Eu: Dobby não pode prometer isso senhor. Dobby é um elfo bom.
SeuNome: Você é tão idiota. – ela falava rindo.
Eu: Mas você está rindo.
SeuNome: E tem como não rir?
Eu: Me chamou de palhaço?
SeuNome: Talvez. Mas, por favor. Não se coloque em perigo por alguém que não conhece.
Eu: Eu quero conhecer.. Eu quero.
SeuNome: Isso não é uma coisa que se diga a quem acabou de conhecer.
Eu: Só quero te ajudar.
SeuNome: Zayn.. Tenho mais problemas do que todos os cinco juntos.
Eu: Você ainda não conhece o Liam. – ela apenas riu.
SeuNome: Não conte a ninguém sobre os SMS, e eu te deixo saber o que precisa.
Eu: Não me parece justo.
SeuNome: É apenas o que saberá. O que precisa. – Porque ela era tão misteriosa? O que ela escondia? O que aconteceu de tão grave a ponto dela não se sentir bem em contar? Porque eu estou tão vulnerável? Porque estou tão.. Idiota? Ela me deixa nervoso, eu não consigo me concentrar, não consigo escutar meus pensamentos. O que está havendo comigo? Perrie.. Se concentre na Perrie. Ela é sua namorada, Zayn. Namorada. E não vai gostar anda de saber que você anda escondido em m beco com uma fã.
Eu: Já que eu não tenho escolha. Vamos, me conte depois. O Nando’s é logo ali. – Eu comecei a andar, mas ela não. – Que foi?
SeuNome: Obrigada.
Eu: Super heróis são assim.
SeuNome: Começou a se exibir.


Eu apenas sorri e passei o braço em volta dos ombros dela, a puxando pra perto. Não era exatamente o que eu queria fazer, mas no momento.. Era o que eu podia. No inicio ela pareceu um pouco desconfortável com a nossa proximidade, mas aos poucos foi se deixando levar, e logo estava com uma das mãos na minha cintura. Andamos assim por um longo tempo conversando coisas mais alegres. Acabei descobrindo que ela morava perto de praia, o que me fez achar ainda mais engraçado o fato dela ser tão clara. Descobri que o bolo favorito dela era de cenoura e que ela sabia fazer um delicioso, Louis iria casar com ela se descobrisse e estivesse solteiro, ou no mínimo iria ameaçá-la até que ela fizesse um especialmente pra ele. Ela gostava de chocolate e sempre se recusava a dividir, bem parecida com o Niall e seus doces. Seu filme favorito era Toy Story, mas era fã de quase todos os clássicos da Disney, Liam iria se divertir ao lado dela. Adorava jogar vídeo game, certo, ela se daria bem com todos, caso os conhecesse bem. Por fim ela acabou deixando escapar que gostava de ficar a vontade em casa, e isso incluía menos roupas, Harry ficaria completamente satisfeito se descobrisse isso, iria obrigá-la a morar com ele. A verdade é que ela era muito divertida e bem reservada e não desgrudava do seu violão, seria fácil se adaptar. Talvez minha única semelhança com ela fosse o medo eterno de águas fundas e sermos completamente diferentes ao padrão de nossas cidades. Eu a soltei apenas quando estávamos perto da entrada do Nando’s ou não passaríamos pela porta. Eu precisava descobrir o que estava acontecendo. Não, eu não esqueci o assunto dos SMS, mas por hora, eu poderia deixar de lado e tentar animá-la um pouco. Ela ficou para trás, estava amarrando os cadarços dos tênis, e eu aproveitei para entrar na frente e procurar a mesa onde eles estavam.

Meninas que pediram para divulgar:
01 / Eu também posto aqui, e sim, a Camila sabe.
23

23 comentários:

  1. oi, vc pode divulgar meu blog http://imaginedirectionerparasempre.blogspot.com.br/
    e só mas uma coisa continuaaaaaaaaaaaaaaaa ta P-E-R-F-E-I-T-O

    ResponderExcluir
  2. OWN muito lindo amei continua

    ResponderExcluir
  3. Oiiii, ta muito lindo caras, pode divulgar meu blog? http://imaginedirection1d.blogspot.com.br/ obrigada :3

    ResponderExcluir
  4. Muinto bom liamda!! To adorando!!!
    Bela

    ResponderExcluir
  5. por favor ta muito Bom posta outro hojé te emploro!!!

    ResponderExcluir
  6. PERFEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEITO ! <3

    ResponderExcluir
  7. Divulga?http://directioner-4-every.blogspot.com.br/
    Obrigado Liamda.
    Ta muito legal.Continua logo.
    xx Ysa

    ResponderExcluir
  8. ta perfeito estou amando continua please

    ResponderExcluir
  9. Ownt, q fofo!!!

    ResponderExcluir
  10. Divulga: http://miniimaginesdirection.blogspot.com.br/?m=1
    BeiJUUH posta +1 hj please

    ResponderExcluir
  11. AMEI!!!!! TÁ SIMPLESMENTE MARAVILHOSO!

    ResponderExcluir
  12. muitooo bom fofa continua por favor.
    by>Duda

    ResponderExcluir
  13. Tá muito divo e perfeito, continua!
    Divulga? paragordinhasfelizes.blogspot.com.br (nao tem nada a ver com gordo ok?)
    eternamenteonedirection.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  14. Ta perfeito liinda!!! To amando super! Parabéns! :)

    ResponderExcluir
  15. perfeitooooooo ameiiiii!!!coooontinua logo antes que eu tenha um heart attack!!! thatty xx

    ResponderExcluir
  16. Cara, pq parou de postar dnv? Q saco posta logo!

    ResponderExcluir
  17. Posta logo, q coisa, parece q quer matar os outros de anciedade. Q saco !

    ResponderExcluir
  18. Que perfeitooooo eu já li e reli esse cap, de tao perfeito q ele é XD.
    Lineee (óó a intimidade), divulga pfv?! 1dbrasi-l.blogspot.com.
    Continua a fic, que ela ta perfeitaaaaaa!!!! *--*

    ResponderExcluir
  19. Oiii nossa a sua fic e incrivel! Parabens a forma como vc escreve os sentimentos dos personagens vou acompanhar e prometo comentar em todos os capitulos! Porque tbm tenho um imagine e sei o quanto os comentarios sao importantes pra nos beijos e mais uma vez parabens a fic e extraordinaria!

    ResponderExcluir
  20. To amandooooooo! e ainda por cima, pra melhorar é Potterhead!

    ResponderExcluir