Our Destiny - Capítulo onze. / 3ª Temporada.

Capítulo onze – Batman.
Crianças preferem a verdade.
Harry Styles P.O.V’s 

  Escutei um burburinho de conversa vir do corredor, tomei o resto de café que tinha na minha xícara e me levantei da cadeira um pouco curioso, tinha deixado a minha última paciente a dez minutos então eu estava livre até a próxima se quer aparecer. Girei a maçaneta e puxei a porta revelando um corredor cheio de gente, inclusive de funcionárias, todas olhavam para um só lugar, tirei o meu corpo pra fora e pude ver uma garota de costas, cabelos castanhos, uma blusinha de algodão cheio de detalhes, uma calça de couro preto e um salto alto enorme bege, da cor da blusa, ela estava conversando com a recepcionista, escutei umas enfermeiras sussurrar como ela era bonito, franzi o cenho e quando aquela garota se virou eu tive que concordar com as enfermeiras, muito, muito linda. Sorri sem jeito naquela direção por um grande tempo não contado, até que cai na real de que ela estava vindo na minha direção e tinha o maior sorriso que podia estampado em seu rosto. Ela passou por mim entrando na minha sala, de um jeito convidativo e atraente, dei uma olhada em volta e todo mundo sorria meio abobalhado, entrei na sala e fechei a porta com cuidado.

Eu: Bom dia. – sussurrei pra ela que ergueu a cabeça e se virou para olhar pra mim. – Você está linda, SeuNome!
SeuNome: Obrigada… Então, o que eu tenho que fazer?
Eu: Em relação de? – fiquei por um tempo a olhando.
SeuNome: Em relação ao serviço, Harry, o que mais seria?
Eu: Ah nada! – ri fraco – Você pode, quem sabe, arrumar esses livros bagunçados. – apontei pra uma pilha de livros espalhados, eu tinha os tirados dali na esperança de encontrar alguma foto com a SeuNome, achei que havia escondido uma foto ali, mas aparentemente eu estava enganado e bêbado quando fiz isso.
SeuNome: Tudo bem, eu farei isso. – ela se virou e caminhou até os livros ajeitando-os na estante e organizando do jeito dela, fiquei a observando por um tempo, a forma atenciosa que fazia aquilo, a vontade, a antiga SeuNome com certeza, teria preguiça. – Você vai ficar ai? Me olhando trabalhar?
Eu: Ah, como você…
SeuNome: Eu estou escutando sua respiração, Harry. – sorri e me aproximei dela me sentando-me em cima da mesa.
Eu: Impossível pensar em outra coisa tendo você aqui. – sussurrei a olhando de cima abaixo, ela pareceu não se importar continuou fazendo o que estava fazendo. – Você é tão linda.
SeuNome: Harry eu preciso trabalhar. – soou fria, suspirei fraco.
Eu: Tudo bem, você sabe exatamente o que quer. – ela se virou.
SeuNome: Sim, eu sei exatamente o que eu quero, você deveria saber disso. – tentou sorrir, mas ela estava mentindo, o pior; mentindo pra si mesma.
Eu: E quer que eu te deixe trabalhar?
SeuNome: Sim, é exatamente isso que eu quero, por favor.
Eu: Você me pediu aquele beijo, exatamente pra quê? A sua intenção era me deixar iludido, ou o quê? – ela suspirou e abaixou a cabeça, mal sabia o que estava fazendo, parecia tão confusa, ergueu a cabeça me olhando, seus lábios abertos e sua expressão nula. – Tudo bem. – virei-me saindo de cima da mesa e em segundos senti ela puxando meu braço.
SeuNome: Desculpa, Harry. – sussurrou.
Eu: Sem problemas, SeuNome. – sorri forçado agora mentindo pra mim mesmo, não estava nada sem problemas. – Nosso encontro ainda está de pé?
SeuNome: Claro! – sorriu abertamente e eu arrastei meu corpo pra longe dela antes que me arrependesse e acabasse com tudo isso agora.

  Entrei no meu consultório olhando em volta, andei até a extensa janela, eu conseguia relaxar olhando pra essa bela vista, por alguns minutos era como se eu tivesse tudo o que quisesse nas minhas mãos, eu me sentia totalmente, realizado, mas era por somente alguns minutos e então tudo do nada passava e eu me encontrava parado olhando pro nada e sorrindo feito um idiota, caía na real de que tudo que estava acontecendo era somente na minha mente e chegava a pensar que talvez a felicidade não fosse pra sempre. É muito doloroso você ter alguém e ao mesmo tempo ela deslizar por sua mão e a confusão toma conta da sua mente e em questão de segundos eu estou jogado no chão chorando. Realmente é muito doloroso, eu não sabia o que pensar, queria pensar na possibilidade de tê-la de volta pra mim do mesmo jeito que eu tinha antes, ela gostava de mim, queria ficar somente comigo, me amar eternamente, mas eu perdi isso, eu deixei ela ir e agora não tenho o que eu queria mais que tudo.
  Meu telefone tocou e eu tateei o blazer o puxando pra fora e atendendo antes mesmo de ler quem era.

Eu: Alô?
– Harry, o que se compra pra alguém de quatro anos?
Eu: Camila?! Ah, não sei, compra um carro motorizado e uma garota que ame ele pro resto da vida.
Camila: O que aconteceu agora? – seu tom de voz mudou, ela estava irritada.
Eu: Não aconteceu nada tão demais, eu só me sinto um pouco cansado de ter que correr atrás das pessoas, porque elas nunca correm atrás de mim?
Camila: Para com isso, se você quer algo, você tem que ir atrás, não pense na retribuição, pense em como você vai se sentir sabendo que, pelo menos, foi atrás, em vez de ter ficado na sua esperando o que for bater a sua porta.
Eu: Então qual é o problema comigo?
Camila: Não há se quer um problema em você, fala sério, você é perfeito, idiota, você deveria se perguntar qual é o problema com essa garota, porque sinceramente ela que vai sair perdendo. – sorri sem jeito, ela sabia mesmo me conquistar com poucas palavras.

  Engraçado como o mundo pode te derrubar milhares de vezes, mas é só ouvir um pouquinho de apoio que todas as forças do nosso corpo volta nos fazendo ergue-se e mostrar ao mundo que viemos pra lutar.

Camila: Harry, você não tá chorando, né?! – gargalhei.
Eu: Você pode me esperar naquela loja de brinquedo na esquina do hospital perto de uma sorveteria? Eu vou te encontrar e te ajudar a comprar um carro motorizado pro Caleb.
Camila: Não vou comprar um carrinho motorizado, Styles, o pai dele vai mandar devolver.
Eu: O pai dele? E o que você é? A estranha que doou o útero para desenvolver aquele espermatozoide?
Camila: Desculpa. – sussurrou e eu ri pelo nariz – Não sei me acostumar com isso, é como se ele nem fosse meu filho, eu fiquei tanto tempo longe, mal sei se devo me aproximar.
Eu: E pensa em ficar pra sempre por ai entregando presentes escondidos sem dar explicação? Você quer mesmo usar aquela peruca ridícula vermelha, aqueles óculos ridículos e aquelas lentes de contatos e tal? Aquelas dentaduras, Eca Camila. Você não pode fazer isso pra sempre, você vai ficar vendo seu filho crescer de longe, ele já tem quatro anos, quantos anos mais você vai querer perder? – ela ficou em silêncio talvez repensando sobre tudo o que eu já tinha dito e continuo dizendo sobre ela não procurar Zayn e dizer que está de volta e que precisa acompanhar seu filho. – Okay, me espera em frente a loja eu já estou indo.

  Desliguei o celular antes dela falar mais alguma coisa, enfiei o aparelho no bolso da calça e tirei o meu jaleco colocando sobre a cadeira de couro preta em frente a minha mesa de madeira branca, caminhei por todo o consultório ainda encontrando a SeuNome ajeitando os livros na estante, quando ela me viu me olhou daquela forma irritante como se tivesse achando que eu estava perseguindo ela, acho que deveria saber que ela não é o centro de tudo e que nem sempre vou ficar correndo atrás dela, parar de se achar, talvez. Revirei os olhos e puxei a porta logo saindo sem dar explicações a minha “secretária” afinal, ela não queria ser mais do que isso.
  Quase vinte minutos depois cheguei em frente a loja de brinquedos, uma enorme loja de brinquedos, se não a maior, uma das maiores de Londres, ela fica bem no centro perto de cafeterias e prédios executivos, e todo o tipo de brinquedo existente é encontrado nessa loja, é perfeita. Saí do carro e coloquei o capuz na cabeça cobrindo meus cabelos, ventava e isso só pioraria a forma em que meu cabelo estava. Avistei a Camila perto da porta, encostado em uma viga, enquanto mexia no celular, soube que era ela por seu moletom de uma semana vinho, o capuz na cabeça escondendo os fios que agora estavam escuros como a noite, uma calça jeans escura, larga por falta de perda de peso que a França e o Doutor William lhe trouxe, aparentemente está com anemia, mas não conversa comigo sobre isso, sempre tem uns ataques estranhos de tremedeira e começa a chorar do nada quando eu toco no assunto, disse que precisava ir a um psicólogo mas ela treme só de pensar na possibilidade de conversar sobre o assunto, não quero vê-la morta de verdade por insistência minha de sua ida ao psicólogo, portanto eu tentava ajudá-la, dei-lhe um diário aonde ela conta sobre tudo que aconteceu com ela, aos poucos, é claro, já tem umas quinze folhas escritas, e eu li, obvio, eu preciso ajudá-la, mas estou aterrorizado com o que ela tem escrito, é realmente doloroso saber que em pleno século vinte um ainda temos psicopatas dos anos quarenta, tentando fazer maldades com pessoas simples e humildes, a troco de nada.
  Assustei-a quando encostei minhas mão sobre seus ombros, senti ela amolecer na minha mão e erguer a cabeça totalmente assustada, recuei e sorri pra ela tentando passar segurança, ela estava fria, triste, assustada, totalmente sem uma base pra conseguir viver, mas eu entendia, eu entendia aos poucos, e eu tentava ficar do seu lado, tentava lhe ajudar, porque ela precisava. Não era mais a mesma de antes, parecia uma garota assustada que acabara de presenciar a guerra e viu milhares de pessoas morrerem a sua frente. Totalmente sem chão.
  Ela sorriu aos poucos e virou pegando no meu braço me puxando pra dentro da loja, da enorme loja, cheio de brinquedos e de crianças também, vez ou outra um aparecia correndo por nós, chorando, berrando, felizes, tristes, desesperados para ter aquele brinquedo, algumas crianças se jogavam no chão fazendo birra, agarrando a mãe pela perna enquanto chorava muito, outros tentavam subir em gôndolas que poderiam machucá-los, outras crianças batiam em outras crianças com sabres de luzes piscante, pestinhas. E eu nunca agradeci tanto a Deus por não ter filhos, e por eu nunca ter dado esse tipo de dor de cabeça pra minha mãe, mas em compensação eu fui um mal adolescente. Enfim, Camila entrou em um corredor aleatório enquanto olhava admirada para todos os brinquedos, as estantes de brinquedos eram altas e sim, maiores do que eu.

Camila: Não sei o que dou a ele.
Eu: Um carro motorizado, eu queria ter um carro motorizado quando era criança, mas a minha mãe nunca pode comprar, eu morava só com ela e então era difícil sustentar a casa e cuidar de duas crianças. Então você poderia fazer um favor pra mim e realizar o sonho daquela pobre criança.
Camila: Nós estamos falando de você ou do Caleb? – ela virou me olhando divertida, era a primeira vez que eu via aquele sorriso malicioso desde que ela havia voltado.
Eu: Todo menino sonha em ter esses carros, Camila. Você entra nele e pode dirigir pra qualquer lugar.
Camila: Não vou comprar isso pra ele, o pai dele vai querer saber quem entregou e se ele me descobrir já era.
Eu: O que já era? Porque eu não entendi essa parte.
Camila: Se eu me recordo bem, Styles, eu não fui uma boa mãe, aliás Zayn tem a guarda dele pode me afastar de Caleb se quiser.
Eu: É, mas ele não vai fazer isso, você é a mãe dele, independente de quantos anos você vai ficar fora, você gerou aquela criança, você é a mãe. Cara, para de ser idiota e faz o certo por favor.  – ela assentiu e olhou pro lado e pegou uma caixa.
Camila: Batman? Que tal o Batman?
Eu: O que? O que o Batman tem a ver com você fazer o certo? Ele não é real.
Camila: Não Harry. – ela riu – Que tal eu dar um Batman pro Caleb.
Eu: Acho legal…
Camila: É o Zayn gosta de histórias em quadrinhos, o Caleb deve ser igual. – assenti com a cabeça.
Eu: Que idiotice comprar um boneco que não faz, ele não se mexe, não fala, não canta… Meu Deus, olha esse boneco, é o arqueiro. – peguei a caixa do arqueiro e mostrei pra Camila que segurava a do cavalheiro das trevas. – E ele tem uma flecha, que lindo. – sorri enquanto olhava pra caixa.
Camila: Olha o homem de ferro, ascende a luz no peito dele. – ela me mostrou a caixa e eu coloquei a do arqueiro de volta.
Eu: Acho que vou levar esse. – falei encantado olhando pra caixa do senhor Stark.
Camila: Acho idiotice comprar um boneco que não faz nada. – imitou com uma voz forçada, a empurrei de leve e logo fiz uma expressão de espanto com medo da menina desmontar ali na minha frente de tão magra que estava.
Eu: Acho que vai ficar legal na minha estante. – sorri sem jeito olhando os outros bonecos.
Camila: Olha, leva o Capitão América, pra fazer companhia pra ele. – ela pegou a caixa me entregando.
Eu: Oh céus, você tem razão. – gargalhei – Seu pai gosta mais de mim do que você. – simulei uma conversa entre o Rogers e o Stark. – Pelo menos sou bilionário. – forcei uma voz grossa – Tenho um escudo que vale toda a sua armadura. – fiz uma voz fina – Ah, minha namorada está viva. – forcei a voz grossa do Tony e escutei a risada da Camila, todo mundo olhava pra gente como se fossemos dois retardados que fugiram do hospício. – Eles vão ficar muito legais na minha estante.
Camila: Vão…
– Harry? – virei com uma grande brutalidade, me perdendo enquanto segurava as caixas dos bonecos, quase deixei o boneco cair, voltei a minha postura normal e olhei pro lado, Rebecca estava ali, um vestido longo e os cabelos loiros batendo no busto, me olhava sorrindo mas, ao mesmo tempo confusa, atrás dela tinha uma menina segurando um bebê, eu deveria saber quem é a amiga da minha namorada, mas eu não a conhecia, na verdade nunca tinha visto na minha vida. – O que faz aqui?
Eu: Ah… eu… ah… Rebecca. – comecei a soar frio minhas mãos já estavam molhadas.
Rebecca: Quem é ela? – apontou pra Camila que em alguns segundos se moveu toda confusa que nem eu, jogou o boneco do Batman em cima de mim com brutalidade.
Camila: Eu? Ah… eu trabalho na loja, senhor Styles, foi muito bom ter ajudado o senhor. – ela deu as costas. – Alguém precisa de ajuda? Você quer ajuda? Quer ajuda minha senhora? – parou de uma senhora baixinha – Você quer levar um brinquedinho pra sua neta? Ah, pra sua filha? – falou um pouco constrangida. – Enfim, leva esse, o Max Steel, espera… leva aquela boneca ali, mil e uma, utilidades, Barbie – falava alto e eu queria rir – Já sei porque você não leva aqueles brinquedos de panelinha, fogão e tals? É bom influenciar as garotas a cozinharem não quero o meu filho casado com alguém que não cozinhe pra ele, sem machismo. – abriu os braços e desviou da velhinha que a olhava com ódio, logo ela sumiu da nossa vista.
Rebecca: O que você está fazendo aqui?
Eu: Eu vim comprar esses bonecos, achei que ficaria legal se eu enfeitasse a minha sala, a minha estante vai ficar bonita.
Rebecca: Estante? Harry, aquilo é uma raque. – me corrigiu e eu arregalei os olhos, lógico que estava falando da outra casa, mas ela não poderia saber.
Eu: É verdade, eu nunca lembro o nome da…
Rebecca: Não vai colocar sobre as nossas fotos né? Coloca esses bonequinhos perto daquelas fotos que você tem com seus amigos do colegial que nem entram mais em contato com você.
Eu: Vou colocar lá.
Rebecca: Se quiser te ajudo a tirar aquelas fotos de lá também. – assenti sendo um idiota.
– Harry? Harry, você por aqui? – ótimo, agora era uma voz grossa, me virei pra frente sem esboçar nenhuma reação, mas quando vi quem tava na minha frente a única reação foi arregalar os olhos e olhar em volta procurando por Camila.
Eu: Zayn? Zayn Malik, olá querido Malik! Que bom te ver aqui.
Zayn: Oi, não sabia que você vinha aqui. – tentou me cumprimentar mas as minhas mãos estavam ocupadas. Zayn deu uma breve olhada pra Rebecca e rolou os olhos voltando a me encaram
Rebecca: Harry a gente se vê a noite?
Eu: Não sei, Rebecca…
Rebecca: Faz três noites que a gente não se vê direito, Harry.
Eu: Tudo bem, talvez eu passe no seu apartamento, depois de dar uma ajeitada no meu. – ela assentiu e se aproximou bem lentamente de mim me dando um selinho, seu rosto cheio de base e corretivo e pó, tudo muito melecado. Zayn continuou parado ali na minha frente enquanto me encarava, quando Rebecca se afastou de mim ele se aproximou pra pegar as caixas na minha mão, ainda estava um pouco assustado, desde quando ele tá aqui? Ele viu a Camila?
Zayn: Você ainda não terminou com ela?
Eu: Não é tão simples como chegar nela e falar que quero terminar.
Zayn: É mais fácil do que você imagina. – comentou sorrindo.
Eu: E esse sorriso bobo ai?
Zayn: Tenho um encontro e Caleb gosta dela. – assenti e dei as costas pra começar a andar. – E ela gosta dele, talvez seja essa influência feminina que Caleb precise, ele sente falta de uma mãe, me pergunta todos os dias e acho que com esse encontro eu posso ajudar ele, assim como vou ajudar a mim. – apontou pro meio das pernas e eu girei os olhos.
Eu: Cara, você só pensa em sexo?
Zayn: Não penso só em sexo… – sorriu pro nada.
Eu: Mas está pensando agora, para Malik! – pedi nervoso e ele parou. Olhei em volta, em todos os lugares, procurando a Camila, vai que a doida aparece do nada. – O que veio fazer aqui?
Zayn: Comprar um carro motorizado pro Caleb, ele viu aquilo na televisão e ficou todo apaixonado pelo brinquedo. – falou sorrindo e andou até um carro motorizado pegando o azul, ainda bem que a Camila pegou um Batman. – E, você pode me dar uma carona?
Eu: O QUÊ? – fiz uma voz afeminada enquanto olhava pra Zayn ele estranhou e tornou a repetir a pergunta. – Acho que não, eu… ah… eu…
Zayn: Tá gaguejando, Styles? É só dizer que não vai me levar.
Eu: Não vou te levar. – coloquei as caixas em cima do balcão do caixa.
Zayn: Vai sim, é caminho pra você, pode até me deixar na escola que o Caleb estuda.
Eu: Você disse que se eu não…
Zayn: Não escuta o que eu digo, me leva pra casa e pronto.
Eu: Cadê seu carro?
Zayn: Eu vim sem ele, na verdade uma garota me trouxe. – sorriu feito um idiota de novo – E não quero pegar um metrô ainda estou meio quebrado.
Eu: É, mas eu acho que não vou poder te levar. – paguei as coisas que tinha comprado, Zayn me olhou sério e eu queria dizer a ele o motivo de não poder levá-lo, mas eu não faria isso, sei que depois eu apanharia se fizesse. Mas também não poderia dizer não pro meu amigo, mas também não poderia levá-lo, não deixaria a Camila aqui.
Zayn: Vai, por favor, não vai custar nada pra você. – sai andando e escutei os passos de Zayn e sua voz implorando atrás de mim.

  Sai da loja olhando em volta, tinha que encontrar essa garota, ou ela pelo menos, me enviar uma mensagem dizendo que vai ir de ônibus, táxi ou algo do tipo, mas infelizmente meu celular não tinha nem mensagem e nem ligação, acho que provavelmente ela esteja vendo a gente de algum lugar, na esperança do Zayn se despedir e ir embora, mas não, ele não ia embora e eu a deixaria aqui, porque se não é ela, é ele, infelizmente não posso levar os dois com esse muro de segredo no meio de Zamila, ótimo, eu estou sendo ridículo.

Eu: Okay, que droga, eu levo você. – parei perto do meu carro e abri a porta de trás, mesmo que o carro estivesse trancado eu tinha esperança de ver a Camila no banco de trás escondida, mas ela não tinha poder de atravessar as coisas e nem era uma marginal possível para entrar no meu carro sem ativar o alarme ou arrombar as janelas.
Zayn: Ótimo, é bom contar com os amigos. Preciso que você me empreste um terno também, porque vou levar a minha garota pra…
Eu: Não, eu já vou te dar carona, vai querer um terno? Quer minhas cuecas, meus sapatos, o meu carro também?
Zayn: O carro seria boa oferta. – arqueei uma sobrancelha fazendo o me encarar sério. – Porque tão sem senso de humor?
Eu: Porque eu… eu estava esperando alguém. – falei de uma vez, talvez ele desistia e ia embora.
Zayn: Uma garota? Você está esperando a SeuNome?
Eu: Não é outra garota.
Zayn: Outra garota? Hum… você está pegando outra garota?
Eu: Não, não estou. – coloquei meus braços em cima do carro e Zayn tirou um cigarro pra fumar. – Ela é minha amiga, como uma irmã, eu cuido dela, e ela de mim.
Zayn: Hum… você poderia me apresentar essa sua irmã, não é Styles?
Eu: Você acabou de dizer que tem um encontro com uma garota, e já quer que eu te apresente pra… quer saber, não, para de querer pegar todas. – falei bravo, e Zayn me olhou sério.
Zayn: Qual é, eu só estou tentando esquecer tudo.
Eu: Vai ser meio difícil. – falei já sabendo que quando ele ver a Camila vai ser difícil esquecer tudo.
Zayn: Eu sei que vai, mas não custa tentar não é? – falou sério e tragou o cigarro. – E cadê ela?
Eu: Eu não sei.
Zayn: Ela estaria aqui?
Eu: Sim.
Zayn: Então nós vamos esperar ela e quem sabe você me apresenta a ela. – já tinha perdido a paciência.
Eu: Você não vai querer conhecer ela, Zayn.
Zayn: Porque não? Não deve ser tão horrível assim.
Eu: Horrível não é, mas surpresa com certeza.
Zayn: O que quer dizer?
Eu: Quero dizer que você vai se surpreender se conhecer ela. – sorri sem jeito.
Zayn: Ah porque ela é bonita? Muito bonita? Já sei, gostosa, muito gostosa? – mordeu o lábio sorrindo.
Eu: Não posso responder. – virei-me pra frente novamente.
Zayn: Qual é, Styles. É só dizer que eu quero conhecer ela.
Eu: Está ai o problema, Zayn. Conhecer ela.
Zayn: Ah… então eu já conheço ela? – perguntou um pouco confuso.
Eu: Não é nada disso, só que…
– Olá Zayn! – escutei a voz de Camila e me virei a vendo tirar o capuz da cabeça, tão mais baixa que nós dois, olhou pra Zayn da forma mais feliz que podia.


Continua.... 
<< Capítulo Anterior                                                                                Próximo Capítulo >>


---------------------------------------------------------------
Oi gente, como vocês estão? 
Estão com raiva de mim ou algo do tipo por conta da demora? 
Eu nem vou perder meu tempo me fazendo de coitada enquanto tento fazer uma explicação sobre a demora porque a culpa foi toda a minha, perdi todo o conteúdo do meu computador por desleixo meu, então vamos pular essa parte, eu só queria dar uma breve explicação somente pela demora da postagem, eu perdi meu computador e comprei outro na segunda feira passada, ou seja a uma semana atrás, eu tinha perdido todo o conteúdo que tinha escrito de our destiny mas escrevi até rápido um capítulo que eu tinha em mente já como seria, que é esse, porém eu demorei quase seis dias pra postar porque estava decidindo se realmente queria voltar, pq eu tinha perdido toda a vontade de postar, realmente ainda estou, mas eu tenho o compromisso de postar pelo menos até o final, tanto essa como a comeback, não sei se vou postar a fic do Louis ainda, pq como eu disse perdi totalmente a vontade d escrever depois que perdi tudo o que eu tinha escrito o que era MUITO, enfim, não vou falar muito, só queria deixar essa parte explicada, e talvez eu não poste a fic do Louis aqui, mas se caso eu deixar pra alguém postar pra mim em algum blog ou site eu deixo o link pra vocês lerem, desculpem-me por isso, de coração <3 
9

9 comentários:

  1. AEEE CAMEEEEELA \O/
    Até que fim,eu aqui toda ansiosa pra esse capítulo,não posso crer que Camila ta viva,minha personagem preferida omg.
    Enfim,pelo amor de Deus Cams,eu preciso,necessito,ler uma fanfic com o Louis,estou procurando a séculos uma,mas não acho nenhuma boa,pelo amor de Cristo,to te implorando,num faz isso não.

    ResponderExcluir
  2. Meeeeu Deus, que demaaaais, será que a Camila vai tirar os disfarces? Jesus, Ta muito bom, continua!!!
    Cams deve ser muito ruim perder tanta coisa assim, mas por favor não desiste de Our Destiny, obrigada! :D

    ResponderExcluir
  3. Continuaa Camila, To Quase Morrendo de Ansiedade Aki, G-Zuis Q Perfeitoo ♥♥♥

    ResponderExcluir
  4. Mari Tunisse04/02/2015 14:37

    Puuuuuuuuutz grilaaaa! É agora que eu morro, e todo mundo morre, socorro!
    Meu Deussssss!
    Aaaaaaaaaaah!
    Continua rápidão! Por favor! Vou morrer ❤❤❤❤❤
    Bjs, Te amo Cams ❤

    ResponderExcluir
  5. Continua xoxo Isabel

    ResponderExcluir
  6. Continua volteiiiii mds estou morta atirada no chao continua bjos

    ResponderExcluir
  7. MDS MDS MDS MDS MDS COOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOONTINUA

    ResponderExcluir
  8. Uhuuu até que enfim estava preocupada com voce aii ufaaa!! Mas enfim, nao desanime voce escreve bem e tenho certeza que consegue fazer tudo de novo ;)
    Por favor acredite em mim estou sendo 100% sincera!!!!! E voce tem capacidade pra isso eu queria ter uma mente brilhante como a sua!!!!!

    Por favor continua logo e nao pare de escrever

    Xxx. Nanda :3

    ResponderExcluir
  9. A Camila deve estar só o pó, para o Harry estar falando assim dela kkkkk
    E essa Rebecca é muito superficial cheia (lotada) de maquiagem haha, e quero saber a reação do Zayn com isso tudo...
    Ah Camila não desanima não você escreve tão bem, parece até uma escritora renomada e tals ,pois gostamos muito das suas histórias, não desista não.
    Essas bagaças de computador tiram a gente do sério mesmo ,mas fazer o que se não ter vontade de quebrá-los (sem poder fazer isso claro) e continuar, se depender de nós não vamos parar de ler as suas fics e vamos continuar aqui firmes e fortes até quando der.
    Então Stay Strong e como está escrito aqui no blog por você: Imaginar nunca é demais!
    Continua logo por nós você e nós... Xoxo

    ResponderExcluir